Home » » When in Spain.. Do it like they do..

When in Spain.. Do it like they do..


Chegamos ao hotel.. Fizemos o check in.. Subimos até ao quarto no segundo piso.. E mal entramos no elevador os nossos olhos colaram-se e ela encostou-se a um dos cantos como que a pedir-me que me encaixa-se nela ao que sem uma palavra eu anuí e seguindo os movimentos dela encostei o meu corpo e beijei-a sofregamente.. Adivinhámos o caminho pelos corredores até à porta do quarto.. Entramos.. Ela à frente e eu atrás dando uma vista de olhos pelo que aquele espaço nos reservava.. Ao fundo uma janela enorme do chão ao tecto dava vista para o jardim em frente bem como para as pessoas que passavam na rua àquela hora.. Ela fechou as cortinas e começou a despir-se à minha frente.. Eu procurei o interruptor que apagava todas as luzes do quarto e após estarmos plenamente às escuras comecei a despir-me espalhando as minhas roupas pelo chão enquanto seguia em direcção a ela.. Quando a encontrei no escuro foram os nossos corpos nus a fazerem imediatamente as honras do comprimento que tanto ansiávamos ter.. Decidido peguei-a pela cintura e conduzi-a até às cortinas que com um afastar de braços abri deixando a luz da rua entrar no quarto e fazendo daquele corpo a perfeita  silhueta num contra luz intenso.. Encostei-a de frente para a janela para que ela pudesse observar o exterior.. Aquele delicioso corpo nu ali à minha frente.. A pele dela encostada ao vidro frio da janela.. O cabelo que caía sobre os ombros.. Todo aquele cenário era perfeito de mais para ter sido anteriormente sequer imaginado.. Sem esperar comecei a depositar sobre aquela pele sedosa e quente pequenos beijos no meu caminho até à sua cintura.. Ajoelhei-me.. As minhas mãos cobriram aquele rabo perfeito e sôfrego suguei-o e trinquei-o em pequenos e repetidos beijos como se a quisesse literalmente devorar.. O som da nossa respiração ofegante envolvia-nos os sentidos e pela tesão que aquela mulher me provoca em todos os momentos eu estava ali uma vez mais rendido a todo o seu encanto.. Virei-a de frente para mim encostando-a contra o vidro ao que ela levantou uma das pernas e pousou-a sobre o meu ombro dando-me assim acesso perfeito aquele sexo quente com um odor que magneticamente me puxava para ele.. Abri bem os olhos para o poder observar em toda a sua perfeição.. Aqueles pequenos lábios vaginais rosados que conheço tão bem estavam brilhantes da humidade que já os cobria e a luz que escapava da janela por entre as pernas dela iluminava-o e transformava-o numa imagem idílica.. Agarrando-a pelo rabo e baixando-me ainda mais enterrei a minha boca naqueles lábios sentindo um encaixe perfeito em que podia saborea-la e devora-la na perfeição.. O ar era invadido por gemidos soltos que ecoavam perfeitamente na acústica daquele quarto quente.. De rompante saí de baixo dela e recuei até à ponta da cama atrás de mim puxando para que se encaixa-se na minha cintura de frente para mim.. A sensação de entrar de uma só vez bem fundo dentro daquele sexo que já conheço tão bem é mais do que perfeita.. É indescritível.. É como se esquecesse tudo e pela primeira vez saboreasse todas as sensações mais deliciosas alguma vez  experienciadas por alguém.. O calor intenso que me envolve o pénis acompanhado pela pressão que me preenche e os movimentos que ela tão bem sabe dar com a anca ao encaixar-se totalmente contra mim que me fazem sentir como se fosse eu e não ela a ser penetrado.. E por mais dominante que eu seja.. Por mais vontade que eu tenha de controlar toda a situação e proporcionar-lhe todo o prazer que ela merece.. Naquele momento eu deixo-a tomar as rédeas e entrego-me por completo ao prazer que ela gosta de me dar.. Levantei-nos no ar, e com as minhas mãos agarrando o rabo dela e com as pernas dela encaixadas nos meus braços comecei em pé a fode-la com estocadas fortes e intensas segurando-a contra mim e sentido toda a tesão que é te-la assim só para mim.. Deixei-me cair de costas sobre a cama sem nunca sair de dentro dela e vi numa troca de olhares momentânea que aquela era a posição ideal para ela continuar a foder-me como nós tão bem queria-mos.. De mãos entrelaçadas nas dela.. A minha visão invadia-me com as imagens daquele corpo esguio e bem desenhado que encaixado no meu se mexia com a suavidade de quem dança uma valsa secular.. O vai em vem perfeito do tronco dela fazia com que os delicados seios dela se anunciassem à minha atenção ao mesmo tempo que a cabeça caia para traz e toda a figura feminina fosse envolta numa áurea de luz quente que vinha da janela do quarto.. O movimento intenso continuava e o ritmo chegava a ser frenético.. O odor.. Esse já nos invadia os poros acompanhado por toda a humidade liquida e quente que fluía daquele sexo em rubro.. Os gemidos cada vez mais altos enquadravam a eminência do orgasmo que ambos estávamos prestes a ter.. Cada vez mais profundos.. Como se possível fosse.. Os movimentos que incidíamos um sobre o outro levavam-nos à exaustão dos sentidos.. E num espasmo total e explosivo sentimos a invasão do culminar da nossa cumplicidade lasciva.. Da nossa cumplicidade total.. Numa opera de gemidos intensos.. Numa dança de membros sexuais lascivos.. Enterrados no corpo um do outro.. Permanecemos ali por eternos momentos envoltos um no outro.. Saboreando palavras beijos e olhares que nos prenderam uma vez mais num quadro perfeito..
 
Support : Copyright © 2015. diary sketches - All Rights Reserved